< Voltar
IV CONGRESSO REGIONAL NORDESTE 5
Publicada em 30/09/2016 às 16:32:55

Realizou-se em Bacabal, na Paróquia de Santana e São Joaquim IV Congresso Regional Nordeste 5 Tema: Família, Lugar de Misericórdia e Festa, Lema: “Hoje a Salvação entrou nesta casa” lc. 19, 9 nos dias 23, 24 e 25 de setembro de 2016

Os mestres de cerimônia, Messias e Cleonice, iniciaram o Congresso com caloroso cumprimento, após isso, chamaram à frente os representantes da Diocese de Bacabal, o Bispo Dom Armando Gutierrez, que também acumula o título de Bispo referencial do Regional Nordeste 5, o casal coordenador da Diocese anfitriã, Tião e Marta, os quais pediram que viessem a frente toda a comissão, como forma de reverenciar o trabalho de todos em prol deste Congresso, os coordenadores do Regional Nordeste 5, Arcelino e Vera, o padre Marcelo Pepin, também os Coordenadores Nacionais de Pastoral Familiar, Roque e Verônica.

Após breve fala de alguns que estavam à frente, Messias e Cleonice retomaram a palavra e convidaram a todos os coordenadores das Dioceses para se dirigirem à entrada para, depois disso, iniciou-se uma bela e simbólica entrada da diocese, na qual cada coordenador das dioceses entravam com fotos de suas igrejas e respectivos(as) padroeiros(as). Estiveram presentes 380 pessoas vindas de 9 Dioceses do Maranhão.Também as Pastorais Sociais se fizeram presentes.

Depois desse momento, Dom Armando Gutierrez discorreu suas reflexões sobre o evangelho de segundo Lucas, focando na ação de Zaqueu, que, tendo sua importância social, pois era rico, subiu em uma árvore e conseguiu chamar a atenção de Jesus e, por tanto, da misericórdia de Deus. “Aceitar a misericórdia implica uma mudança”, assim pontuou Dom Armando a importância do ensinamento desse Evangelho “a misericórdia quer entrar em nossa casa” ressaltou o Bispo.

A manhã de sábado, dia 24 de setembro de 2016, iniciou-se com a Santa Missa, presidida pelo Bispo Dom Armando Gutierrez, concelebrada pelos padres que ali estavam e organizada pela Arquidiocese de São Luís.

Em seguida, todos foram convidados para um café da manhã comunitário e, prosseguindo as atividades programadas para o dia, dirigimo-nos para o auditório, onde, animados, deu-se a jornada de trabalhos do dia.

O casal mestre de cerimônia, Messias e Cleonice saúda aos presentes passa algumas informações e apresenta o palestrante, Padre Jorge Alves Filho, que passou a conduzir o momento expondo o tema: “Rosto Misericordioso de Deus à Luz da Palavra”.

A sabedoria do padre, somada à sua experiência em sala de aula, transformou a palestra em um importante momento de aprendizagem para todos os presentes.

“A misericórdia de Deus age sobre nós por que é algo palpável”, disse o sacerdote ao relatar a importância de se ter a certeza de que “Deus nos ama e que Deus é amor”.

Relatando sobre a misericórdia de Deus por sua criação, o padre nos fez refletir sobre o fato de que cada ser humano é a imagem e semelhança de Deus, falou da relevância da maternidade, da qual provem os cuidados para com essa imagem e semelhança e que deve ser modelo para todos.

“Quando o homem viola a aliança, brota a misericórdia de Deus”, dessa forma, exemplificou o palestrante, ao falar da necessidade de se reconhecer que é na falha do homem, ao ser infiel ao projeto divino, que brota, como uma flor, a fidelidade de Deus para com o seu povo. “Deus é fiel, porque Ele não sabe ter outro sentimento”, relatou.

O padre fez bela e reflexiva explanação sobre a simbologia que se pode abstrair da parábola do filho pródigo, exaltando a misericórdia presente do início ao fim da parábola. As sandálias que o pai manda que tragam ao seu filho, recém retornado de um caminho tortuoso, de pecado, simboliza o novo caminho a ser seguido, o anel, a pertença a uma família e a túnica a representação de que “ele filho da misericórdia o pai”.

Com a citação do Papa Francisco “é próprio de Deus usar de misericórdia e, nisto, se manifesta de modo especial a sua omnipotência” (MV, 6) o palestrante finalizou seu momento de palestra.

Terminado o tempo dispensado aos grupos para estudo, todos retornaram ao auditório, onde Dom Armando Gutierrez procedeu com as bênçãos de envio dos agentes, que se dirigiram, em procissão até a Porta Santa, em um momento de espiritualidade.

A manhã de domingo, dia 25 de setembro de 2016, foi iniciada por um belo momento de oração, seguindo-se de um delicioso café da manhã. A equipe de animação acolheu a todos no auditório para que se iniciassem as palestras do dia.

O casal mestre de cerimônia, Messias e Cleonice, tomando a palavra, fizeram alguns avisos e anunciaram o casal palestrante, Roque e Verônica, coordenadores da Pastoral Familiar Nacional, que passaram a conduzir o momento, com o tema: A misericórdia na Pastoral Familiar.

O casal, após as apresentações de praxe, fez bela reflexão sobre o sinal da cruz, mencionando que quando dizemos “em nome do Pai” apontamos a cabeça, pois é onde acontece o raciocínio, o comando de tudo, quando dizemos “em nome do Filho”, apontamos o coração ou o umbigo, que em simbolismo ao que dá vida, o coração por fazer o sangue circular e o umbigo pela relação primeira de vida, ao nos alimentarmos pelo cordão umbilical, já o “Espírito Santo” recai como bênção sobre nossos ombros.

Continuando, falou da necessidade da Pastoral Orgânica e com a qual a Pastoral Familiar tem intrínseca relação. Comentou que a Pastoral Familiar é aquela que deve agregar as demais, pois todas as outras pastorais cuidam de um membro da família, portanto, a Pastoral Familiar deve proporcionar a Pastoral de Conjunto, tão necessária, ressaltando que isso só pode acontecer quando todos se unem sob uma ideia em comum.

“As nossas ações precisam chegar nas famílias”, relataram ao falar sobre a constituição da Pastoral Familiar e seu trabalho junto às famílias.

O casal mostrou algumas dinâmicas interessantes, não apenas para manter o público acordado, mas, principalmente, pela mensagem que passam.

Desse modo, o tempo se fez curto para tudo que poderíamos aprender com o casal, mas foi bem aproveitado.

Encerrada a palestra, a plateia agradeceu com uma salva de palmas e o casal mestre de cerimônia, após agradecer a contribuição do casal palestrante, chamou o casal Ari e Zezé para partilharem seu testemunho.

O casal falou sobre sua vivência em crise financeira, traição e o perdão. Dentre os problemas de saúde, surgiu o câncer de próstata, o que afligiu a sua vida. Tudo só foi superado após a aproximação à igreja, quando sentiram que a misericórdia de Deus fez efeito em sua vida.

Messias e Cleonice agradeceram a participação e o relato do casal, chamando o casal Lázaro e Tecia e os senhores Fonteneles e José para novos relatos de experiências, sob forma de testemunhos, o casal pautou seu testemunho sob o foco do Bom Pastor e Fonteneles e José sobre o tema Sobriedade.

Marcos Aurélio mediou esse momento de reflexão sobre o Bom Pastor, levando ao conhecimento da plateia a importância deste e dos relatos de experiência do casal.

Fonteneles e José fizeram conhecer o trabalho da Pastoral da Sobriedade, enquanto “caçula”, como Fonteneles fez questão de chamar ao fazer referência a essa pastoral ter sido implantada bem recentemente em sua diocese, apresentou essa pastoral, seu funcionamento, sua estrutura e as ações no combate e prevenção ao alcoolismo e às drogas. José trouxe seu relato de experiência como ex-usuário de drogas, agradecendo a Deus por ter tido a oportunidade de se livrar, com o auxílio da igreja e da Pastoral da Sobriedade, das drogas.

O casal mestre de cerimônia pediu que fossem anotadas perguntas para que, ao final dos relatos de experiências fossem feitos a ele.

As perguntas faziam referência ao funcionamento dos encontros Bom Pastor, se a Pastoral da Sobriedade tem parceria com a Associação dos Alcoólicos Anônimos, se o casal teve o apoio da família, a reação dos amigos que usavam drogas juntos, o que a família pode fazer quando as drogas afetam um ente querido, entre outras que foram contempladas a responderem as demais.

Após esse rico momento de reflexões e aprendizado, Messias e Cleonice chamaram o casal Nacional para encerrar esse momento.

O casal retoma a palavra falando sobre a exortação do Papa Francisco que diz que não podemos abandonar a ninguém, “assim como a mãe tem todo o carinho por um filho doente, a igreja mãe, deve cuidar de seus filhos” disseram com referência à misericórdia que deve existir junto ao trabalho pastoral.

O casal coordenador diocesano de Bacabal Tião e Marta foi convocado à frente para dar alguns avisos e informes, dentre eles a necessidade do repasse financeiro ao regional.

Em momento de comoção, foi feito um Ave Maria em interseção pela saúde de Maria Gomes que, após um aneurisma cerebral, encontra-se às vias de uma complicada cirurgia e a Pastoral Familiar, na qual a senhora atuou por longos anos, encontra-se em constante oração para que tudo transcorra bem.

Após encerrar o momento no auditório, todos foram à igreja para a missa de encerramento e envio.

Ao término da missa, o IV Congresso Regional de Pastoral Familiar encerrou-se com um delicioso almoço comunitário.

E assim, foi encerrado o Congresso, com a satisfação dos participantes que voltam às suas Dioceses e Paróquias enriquecidos com os ensinamentos das palestras e pelo poder do Espírito Santo.

Compartilhe Compartilhe:
Imprimir: IV CONGRESSO REGIONAL NORDESTE 5 Voltar Ir para o Topo RSS
DIOCESE DE BACABAL
Rua Teixeira Mendes Nº 45
(99) 3621-1280
Bacabal - MA
Mariano Leite - Web Designer e Programador PHP e MySql Lourival Albuquerque Silva
BUSCA NO SITE
REDES SOCIAIS
Redes Sociais Diocese de Bacabal no Facebook Diocese de Bacabal no Twitter Diocese de Bacabal no Google Plus Diocese de Bacabal no Youtube